quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

O Retorno de Coach

- I´m back!

  Devido a alguns problemas não pude escrever a coluna da semana passada. Porém, o tema central seria uma complementação do post anterior. Se por um lado, Sophie faz por onde ser cada vez mais a grande favorita hoje ao milhão, Benjamin foi tomando decisões que o deixam mais longe do título de Sole Survivor.
  Se observarmos a temporada passada, Rob deu a receita de como vencer Survivor: leve com você para a final pessoas que não fizeram nada no jogo e que o tempo inteiro dependeram de você. Por isso Philip e Natalie foram para a Final. Se observarmos vencedores de temporadas passadas, em alguns deles essa fórmula se aplica. Não foram retornantes, mas que mantiveram seus aliados de Final 3 tão próximos deles, que seus rivais não foram vistos por ninguém do Júri e no final das contas, a opção para o vencedor foi única.   Benjamin, porém, vem fazendo tudo errado e de tudo para perder o jogo nessa reta final.
  Me parecia que pela configuração após o final do fuzilamento da Savaii que Benjamin levaria Cochran, Edna e Brandon para o Final 4, por motivos óbvios. Cochran traiu a sua tribo e teve garantia de Final de Coach, Edna não fez nada o jogo inteiro a não ser depender de Benji e Brandon foi seu seguidor fiel (até mesmo em termos religiosos), mesmo com toda a instabilidade emocional. E mais: Brandon declarou mais de uma vez que votaria junto com Ben. Ou seja, esse cara era uma espécie de jogador assistente, ou pra quem viu Tocantins, um co-treinador. Se Boston Rob estivesse na pele de Benjamin nessa temporada, ele escolheria dois desses três para a Final e Coach ganharia de levada. 
  Porém, Benjamin, um jogador equilibrado e sensato, deu lugar a volta de Coach, o cara que preza pela honra, integridade (né, Edna?) e pela boa competição. A eliminação de Cochran foi a primeira mostra disso. O movimento que Cochran fez foi bastante desvalorizado pelas mentiras de Coach. Cochran se deu conta de que Coach não o apoiou na hora em que ele mais precisava. Se eu fosse o nerd, dificilmente votaria em Coach hoje.
  Depois Coach eliminou em seguida Edna. A mesma mulher que foi a única a ajudá-lo após a péssima recepção na RI da Upolu. A mesma que votou junto com Coach todas as vezes. Porém após ser humilhada por Brandon, Coach pisoteou nela e a eliminou. Antes disso, porém, Coach foi ainda mais Coach em dois momentos durante a visita da família na RI. Primeiro ao JURAR uma vaga a Ozzy no Final 3. Logo Ozzy, que tem maioria Savaii no Júri. Mesmo com Cochran eventualmente contra Ozzy, ele tem os mesmos motivos para odiar Coach nesse momento. E ainda por cima, se Ozzy perder algum desafio e ser eliminado antes do Final 3, a promessa será cobrada no Conselho. Por último, Coach se irritou com o pai de Brandon (que é uma versão não careca de Russell) e começou a ter flashbacks de Russell em Brandon. 
  Coach acabou determinando que fim de Brandon estava próximo. Porém logo Brandon, um fiel seguidor de Coach durante o jogo, acabou rodando no melhor episódio da temporada até agora. E em uma circunstância ainda mais dramática: com Brandon entregando o seu colar de Imunidade e saindo graças a quebra de confiança de seu grande mentor no jogo. Se eu fosse Brandon, eu também não votaria em Coach, pois ele me traiu e não seguiu os princípios da tribo. Mesmo com o treinador jogando espertamente a responsabilidade da eliminação para Albert, ele foi o cara que decidiu. Por fim, Coach acabou eliminando um a um todos os seus grandes aliados no jogo e que sequer teriam chance de batê-lo numa Final. Ao contrário, ele leva dois dos grandes estrategistas (Albert e Sophie) e Rick, que é simplesmente um dos caras mais amados e trabalhadores dentro da Upolu, embora tenha sido invísivel o jogo inteiro. Com isso, Coach praticamente jogou o seu jogo no lixo e corre sérios riscos de perder na Final de domingo.
  Falando sobre o episódio de ontem, que episódio maravilhoso! Desde o segundo episódio da temporada passada eu não ficava tão nervoso vendo um episódio de Survivor. Eu pensei até que Sophie corria risco de ser eliminada. O desafio de Imunidade foi bem disputado e emocionante, o desafio da RI foi bem legal, com Edna quase ganhando, mas o principal, o que eu não via há muito tempo no show foi a imprevisibilidade. Foi ver a loucura no acampamento, com todo mundo gritando uns com os outros, Coach tão desesperado, sem saber muito bem o que fazer. E mais: esse episódio deixa um clima de imprevisibilidade para a Final de domingo. Quem vai ganhar? Coach? Ozzy? Sophie? Albert? Rick (tá bom, até parece...)? E agora, mais do que nunca, queremos ver a Final, pois não temos ideia de quem vai ganhar de fato. Coach, Ozzy e Sophie parecem ser os grandes favoritos a essa altura... Vou fazer uma análise mais profunda das chances de cada um nessa final, pela ordem de favoritismo:


Sophie - Eu a vejo hoje como a grande favorita ao milhão. Ela demonstrou ser uma jogadora muito equilibrada e sensata. Me parece inclusive ser a grande responsável pela aliança de 5 da Upolu não ter sido quebrada. Enquanto muita gente queria mudar de lado (leia-se Albert), Sophie ficou ali, quieta, segurando todo mundo. E além disso, ganhou dois desafios de Imunidade. Não a vejo fora da Final, pois ela conta com a simpatia de quase todos os restantes. Se ela for esperta e inteligente, pode ganhar a maioria dos votos dos Upolu e Savaii argumentando isso. Se conseguir evitar Ozzy na Final, suas chances aumentam ainda mais.  

  

Ozzy - O grande atleta da história de Survivor (foi mal, Rob) e um dos piores em termos de jogo social. Pra Ozzy, basta vencer os desafios restantes (o último na RI e as Imunidades) para chegar a Final. Se chegar a final, o ex-garçom tem ótimas chances de levar o prêmio. Ele tem o apoio dos Savaii no Júri (exceto por Cochran) e não traiu nenhum dos Upolu. Se administrar isso em seu discurso e evitar declarações arrogantes (o que é meio difícil no caso dele), pode conseguir levar o prêmio. Ah, se lembram desse cara que disse isso:

Porém, após esse recap, eu acho que Ozzy não tem chance. A vitória de Ozzy seria uma grande surpresa a essa altura do campeonato.

 FAIL! Aliás, esse recap foi pra para nos fazer de trouxa. Cochran e Brandon já rodaram (embora o sobrinho de Russell esteja na RI) e Ozzy está cada vez mais forte para chegar ao título. Mas, de fato, após o extermínio dos Savaii, parecia ser uma grande surpresa ver Ozzy em uma posição tão boa pra ganhar. Porém, a própria edição que detonou Ozzy no recap, o glorificou em vários momentos, mostrando o quão bem o Mogli estava na RI e como ele se sentia tranquilo nessa posição.

Coach - Por tudo o que eu falei no início do texto, o favoritismo de Coach caiu um bocado. Ele pode ainda vencer, porém, se conseguir evitar Ozzy e/ou Sophie para a Final e levar o inexpressivo Rick e/ou o matreiro Albert. Coach ainda pode conseguir conquistar o Júri com as palavras e pelo fato de ele ter sido o grande líder da aliança dominante da Upolu e de que tudo girou ao redor dele. Como treinador de futebol, ele deve estar acostumado a fazer preeleções, bons discursos antes dos jogos. Ele pode usar essa experiência a seu favor para ganhar. Mesmo com os erros, Coach ainda tem boas chances de ganhar, se fizer as coisas certas.

Albert - Quando eu vi este último episódio, desde o "previously on Survivor", parecia que ele seria o grande protagonista do episódio. Mesmo com a loucura do episódio, ao lado de Brandon, ele foi um dos grandes destaques do capítulo. Albert, ao contrário de Sophie, foi o mais agressivo da Upolu, sempre aberto a conversas e alianças com Whitney/Dawn, Cochran e Edna. Albert corre um risco enorme, pois simplesmente é a persona non grata dos Final 4 da Upolu. Porém, em uma eventual final, pode se tornar um adversário perigoso. Ele pode em seu discurso final lembrar isso ao Júri e de quebra talvez conseguir apoio extra dos Savaii. Com isso, ele pode conseguir os quatro votos que eu citei acima. Se for esperto, conseguir ganhar alguns Desafios de Imunidade e fazer as pazes com Coach e Sophie, pode reatar o acordo para o Final 3 original e ganhar o prêmio. O maior desafio de Albert será sem dúvida, conseguir converter o clima de desconfiança ao redor dele para se manter até a Final.

Rick - O até então caubói invísivel (não sei como a edição pode ignorar um cara com um bigode tão caprichado) deu o ar da graça nos últimos epsódios em bons momentos. Apertando a bunda da esposa no melhor momento da chatíssima visita dos amados, observando bem a besteira que Brandon fez ao provocar Edna e nesse último episódio foi esperto o suficiente para perceber a artimanha de Albert e confrontá-lo. Não acho que ele irá ganhar, pois foi invisível a temporada inteira. Mas não me surpreenderia de vê-lo na final, pois com a queda de Albert no conceito da Upolu, ele pode ter pelo menos garantido uma colocação melhor no jogo. Ele até pode ter uma chance mínima de ganhar (tipo 0,0000001%) pois ele é um cara bastante querido pela Upolu e parece ser um dos mais trabalhadores no acampamento. Porém me parece que Rick não tem o tutano necessário para defender o seu caso no Júri final e ganhar. Pode até garantir um ou dois votos, mas nada além disso. Pela sua imobilidade nas decisões de jogo e pela edição ter ignorado sua existência no jogo, o título de Rick será chegar a Final.

Brandon - Além de ter a tarefa hercúlea de vencer Ozzy na RI para voltar ao jogo, Brandon precisa voltar as boas graças de Coach, Sophie e Rick para se manter no jogo. Se conseguir se manter até o Final 3, ele ainda controlar a sua ansiedade de juventude e controlar sua instabilidade que esteve presente com ele ao longo do jogo para convencer o Júri de que é merecedor do milhão. Sabe as chances de Rick que eu falei acima? As de Brandon são de 0,0000000000000000000000000000000001%   

Comentários aleatórios:


- Pobre Brandon. Me deu pena de ver que ele fez o improvável ao ganhar aquela Imunidade, de sofrer bullying de Coach (e não o contrário, como escrotamente Benji alegou) e de dar de presente o colar de Imunidade a Albert, numa forma de mostrar que ele é uma pessoa leal. Me parece que ele é realmente um cara legal, mas que tem sérios problemas a resolver. Me dá mais pena, pois me parece que a pressão de ser um Hantz é grande demais pra ele. Acho que ele foi uma das boas figuras da temporada, pois ele cumpriu bem a sua função de ser o agente dos conflitos.
- Definitivamente Albert tem a minha torcida agora. Por mais que ele não tenha conseguido, ele foi o cara que pelo menos tentou mudar o cenário do jogo, ao contrário de Sophie. 
- Se Ozzy repetir Matt na temporada passada, eu vou rir muito. 

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Elemento Surpresa

- Olha, que coisa mais linda, mais cheia de graça... É ela, Sophie, que vem e que passa...

  Curioso como eu sou ótimo com as minhas previsões...

Sophie Clarke - Tem um discurso confiante, parece ser esperta e saber bastante do jogo. Mas vejo ela sendo um alvo imediato pois ela me parece ser o tipo de pessoa que não sabe esconder isso muito bem. Cada vez mais, o jogador esperto de Survivor é aquele que NÃO demonstra que sabe jogar. Ela me lembra muito a Kristina da temporada passada.


BOOT LIST: 17 - Sophie


  Esse é um atestado de que minhas previsões não prestam e que eu não ganharia nenhum dinheiro por causa disso. Mas voltando a realidade, eu ainda acho que a temporada está nas mãos de Coach. Ele em tese ainda pode levar Brandon e Edna para a Final e ganhar ou até mesmo se Cochran voltar (o que eu acho quase impossível a essa altura), ele poderia levar o nerd e Brandon ou Edna. Porém, após esse último episódio, comecei a ver uma falha na estratégia de Coach. Por exemplo, se ele jogasse com a cabeça de Boston Rob, ele levaria os jogadores mais impopulares para a Final. Mas eu confesso que fiquei um bocado surpreso com a eliminação de Cochran, porque após aquele papo todo do recap e da própria edição tratar Coach como o novo Boston Rob, eu esperava que Edna e Cochran estivessem em um nível mais acima nessa cadeia alimentar. Porém, Coach cometeu na minha opinião um erro ao eliminar um bom adversário. E quem esteve por trás dessa decisão aparentemente? 
  Eu ouvi o podcast do Cesternino há algumas semanas atrás com o Philip Sheppard. O Agente Secreto mais querido (ou não) da história de Survivor levantou uma hipótese interessante. O fato de que Sophie estaria fazendo um jogo sólido e bastante consistente. Sophie ganhou dois desafios em seguida (e ficou em terceiro nesse último) e aparentemente estava jogando bem discretamente, exatamente como eu disse na minha previsão (hahaha!). Comecei a observá-la no último episódio e de fato, ela soltou logo um confessionário de como ela não queria que Cochran estivesse ali com eles, que a traição dele foi uma decisão péssima e que ele deveria ser eliminado. Mesmo com o resto da edição do episódio favorável a Cochran, o nerd acabou rodando no Final. Cesternino já havia levantado a bola de como Sophie havia segurado Albert quando ele queria se juntar a Dawn e Whitney e eliminar Edna. Albert parecia de novo querer salvar Cochran como uma forma de valorizar o esforço dele. Segundo Philip, Sophie quer Albert fora, pois eles são jogadores parecidos e ela quer descolar a sua imagem com a dele. 
  Me parece cada vez mais que Sophie segura a aliança até mais do que Coach em alguns momentos, o que é uma coisa importante. O fato que a edição dá pequenas dicas de como o poder de decisão de Sophie funciona é ainda mais importante. Eu acho que Sophie também quer manter as coisas como estão pois ela quer esperar pelo Final 4, quando Coach não puder usar o seu Ídolo e assim combinar com as pessoas que sobrarem para eliminar o treinador. Nos cenários eventuais, se Sophie eliminar Albert e for para a Final com por exemplo, Brandon e Rick, ou até Brandon e Ozzy ou Rick e Ozzy, Sophie ganha. Hoje eu ainda não vejo isso, pois eu ainda acho que Coach tem controle da tribo, mas eu vejo 10% de chance disso acontecer, o que é mais do que os 0,01% que eu imaginava de ver Coach perder essa temporada após o recap.
  De qualquer forma, me parece que Coach já não me parece tão absoluto nesse jogo. O fato dele eliminar Cochran e Edna já estar nessa lista como a próxima, ao invés de jogadores mais perigosos como Albert ou Sophie. Ele até pode estar pensando na RI e em como pode usá-los para derrotar Ozzy, mas para Coach, o fato do Mogli ir para a Final com ele é até bom, pois por mais que Savaii tenha 4, Cochran não votará em Ozzy e ainda terá toda uma Upolu a seu favor que não votará em Coach e que dificilmente votará no outro Upolu que estiver com ele (Rick, Brandon, etc.). Enfim, não vejo Coach tão mais soberano no jogo e na Final juntamente com o Júri, embora ainda ainda ache que em qualquer cenário na Final ele sairá vencedor. Agora, eu vejo que Sophie é a segunda grande favorita a ganhar o milhão.
  Quanto ao famigerado desafio na RI, eu acho que Cochran perde para Ozzy, pois eu tenho quase certeza que pela edição que Ozzy vem tendo na Ilha, ele ganha e volta ao jogo. Cochran foi de fato, embora eu não tenha gostado dele e tenha achado ele um péssimo jogador, a grande revelação dessa temporada até agora. Todo mundo vem falando dele e se ele deveria ter mudado de lado ou não, ele vem sendo uma das grandes estrelas da edição nessa temporada e uma grande torcida vem sendo montada a favor dele. Mas como as minhas previsões são uma merda, acreditem, Cochran pode voltar e ganhar Survivor! Viva Hércules!

      
  

domingo, 27 de novembro de 2011

A edição da estratégia

- Essa é a minha temporada, rapá!


  Confesso que não estava animado com a possiblidade de ver o recap desta última quarta. Depois do episódio morno da semana anterior, achava que o recap não teria muito a dizer sobre a temporada. Porém, eu vi um comentário do Victor Matos do Survivor Download citando o genial e aka melhor escritor sobre Survivor, Mario Lanza, falando que o recap mostra aspectos do jogo bem interessantes que não entraram na edição final. Acabei me interessando e vi o recap hoje. E gostei do que vi.
  Eu levantei a discussão lá comunidade de como desde Samoa a edição tem se focado mais na estratégia e nos jogadores estrategicamente mais relevantes e se esquecendo de outros aspectos do jogo, como convivência social diária e rotina de acampamento. Vimos nesse recap um pouco mais desses outros aspectos: Coach sendo bem sacana com Mikayla, Brendon surtando ainda mais do que foi mostrado, Cochran contando histórias bizarras de quando era criança, Dawn envergonhada de mostrar seu corpo junto com a galera na água. Também vimos um pouco mais do porquê Cochran mudou de lado e ficou com Coach e sua Upolu. Vimos aspectos interessantes e diferentes do que vimos no jogo, onde até Rick falou! Vimos também Albert tentando fazer alguma coisa para tentar mudar os rumos do jogo a seu favor. Porém, Sophie está bastante relutante em tentar alguma com Albert porém, pois ela vê que ele está tentando fazer isso para o seu próprio bem. O que não retira as minhas críticas ao elenco e a temporada em geral: eu continuo achando esse elenco fraco, que algumas boas figuras sairam cedo demais (Papa Bear e Stacey), etc. Mas vimos alguma coisa diferente do que já foi mostrado, que se foca basicamente em Coach, Ozzy e Cochran.
  Uma coisa interessante que o Rob C. falou no podcast dele na sexta foi que o recap se focou muito em Coach, Cochran e Brandon. Os três foram os protagonistas do recap e para Cesternino esse deve ser o possível Final 3. Eu ainda acho que para Coach, Edna seria uma presença certa na final, pois Edna foi uma aliada constante e não fez nada sem ele no jogo. Porém, nenhum dos Savaii votaria em Cochran e ninguém  do Júri votaria em Brandon, provavelmente, de qualquer maneira Coach estaria mais favorecido no Final 3. Com certeza, Ozzy e Albert estão em maus lençóis pelo recap. O primeiro pelo fato de ter sido detonado por Probst ("Depois de uma jogada tão estúpida que poderia dar certo", quando o apresentador se referiu a jogada de Ozzy para eliminar Christine e fazer de Cochran o agente duplo na Fusão) e depois por Coach ("Ele nunca vai ganhar Survivor porque ele faz coisas idiotas!"). O curioso é que depois do episódio passado, com Ozzy vencendo na RI e mostrando um confessionário com o Mogli de Survivor falando sobre como é a bela a vida na Ilha, eu achei que Ozzy vencendo os seus desafios na RI e chegando a Final com Júri de maioria Savaii ele seria o grande favorito ao milhão. Porém, após esse recap, eu acho que Ozzy não tem chance. A vitória de Ozzy seria uma grande surpresa a essa altura do campeonato. Albert também está numa situação complicada porque ele não tem o apoio de ninguém para fazer alguma mudança no jogo e já está na mira de Coach. Se ele não rodar no próximo episódio será uma grande zebra também.
  Voltando ao tema central do post, desde Samoa vemos a edição ser focada em jogador estrategicamente relevante no jogo. Samoa se focou basicamente em Russell e em sua trajetória dentro do jogo e de certa forma como os outros jogadores ajudaram-no a construir e/ou destruir sua história. Em HvsV, vimos essa distribuição mais equilibrada, com Russell e Parvati sendo os protagonistas em termos estratégicos (derrotando Boston Rob na primeira parte da temporada) e Sandra sendo a antagonista em sua trajetória de vingança, representando um lado mais heróico. Todos, porém, tiveram relevância dentro da edição. Em Nicarágua, todo mundo em algum momento teve sim relevância na edição. Holly, Naonka, Fabio, Chase, Jane, Brenda, enfim... Independente do momento do jogo, quase todo mundo (tirando Dan e Purple Kelly) teve seu momento dentro da história. Eu não gosto de Nicarágua pois eu achei o elenco dessa temporada um dos mais fracos de todos os tempos e porque a própria história contada pela edição foi muito fraca. Em RI, vimos Rob ser o protagonista absoluto da temporada a partir do sexto episódio, com Philip sendo o protagonista louco e os outros também ajudando-o construir e/ou destruir a sua história, assim como em Samoa. E agora, vemos Coach ser o protagonista absoluto, com Ozzy como o vilão e Cochran e Brendon como seus assistentes atrapalhados. Ou seja, a edição está desde Samoa bem mais focada em valorizar a estratégia como a heroína. De certa forma, Russell surgiu como o que a edição quer nos mostrar como o mais importante: estratégia, do inglês strategy, do espanhol, estrategia...
  Nas edições iniciais de Survivor, vemos essa diferença ainda mais gritante, com a edição se focando também nas dificuldades do acampamento (é bem verdade que em Samoa eles fazem isso no início, com todo mundo congelando por causa da chuva e os Foa Foa não conseguindo conversar antes do Conselho por causa do frio gerado pela chuva torrencial), algumas histórias interessantes devido a convivência diária, o pessoal se divertindo nas recompensas, etc. Óbvio que por mais que a edição seja boa, um bom elenco é fundamental, pois sem um bom elenco, não tem história. Esse é o problema principal de Survivor atualmente. Independente das cagadas que os produtores vêm fazendo (RI, fim dos desafios de Recompensa, dois jogadores retornantes ao invés de fazer uma temporada só com retornantes ou só com novatos), se o elenco não for bom, a temporada não vai funcionar. E desde Nicarágua, a qualidade de elenco caiu assustadoramente. Enfim, por mais que a edição seja a melhor do mundo, sem bons personagens não tem boa história. E num reality show, onde a história básica não muda, os personagens são ainda mais importantes.

Comentários aleatórios:

- A cena com Papa Bear (???!!!???) ensinando Cochran a flertar é muito boa. A melhor fala foi de Whitney, quando ela falou com Cochran sobre o olhar suave que ele deveria dar a loira: "Suave, mas não muito... Ou senão vai ficar meio estranho...".
- A cena de Brandon se enrolando com as galinhas me lembrou uma certa pessoa de Samoa que também teve problemas com galinhas. 
- Foi legal a cena de Coach fazendo os equivalentes do jogo com a mitologia grega.

Coach = Zeus
Cochran = Hércules
Ozzy = Narciso
Whitney = Erato
Edna = Eco

  Eu sou um grande fã de mitologia grega e adorei a cena. Vou estender isso a outros Survivors e nos comentários vocês podem adicionar mais ou me corrigirem se quiserem:

Parvati = Afrodite
Russell = Lóki (me desculpem a inclusão da mitologia nórdica, mas foi o único equivalente que eu encontrei para o troll)
Boston Rob = Zeus (me desculpe, Coach)
Sandra = Ares (o deus da guerra)
Cirie = Atena (a deusa da estratégia, ao contrário de Parvati, Cirie sempre usou somente a sua lábia e esperteza)
Rob Cesternino = Ulisses
Colby = Morfeu (não o do Matrix, mas o deus dos sonhos)
Jonny Fairplay = Baco 

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Rapidinhas



- Não aconteceu nada demais no último episódio. De fato, aconteceu que já se imaginava: mais dois da Savaii rodariam. Também não surpreendeu que Ozzy e Jim fossem os escolhidos, por motivos óbvios. 
- Era esperado o bullying escolar juvenil em cima de Cochran. Eu não entendi porque ele foi tentar se explicar com a galera. Já tava ferrado mesmo. Definitivamente agora não consigo ver Cochran provocando nenhuma grande mudança no jogo além desta última. Ele até citou Marquesas em um dos conselhos do episódio anterior, mas eu continuo achando que ele só ficou com medo das pedras e está apenas esperando para ser eliminado no Final 7. Ele é apenas um nerd fã de Survivor, mas não é um bom jogador. 
- Dawn surge pra mim, por outro lado, como a grande jogadora da Savaii. Albert identificou logo essa ameaça ao querer se livrar dela primeiro ao invés de Jim e do apoio que ela recebeu da Upolu durante o desafio de Imunidade. Ela está ganhando a Upolu e não me surpreenderia se ela conseguisse puxar alguém para o seu lado para virar o jogo. Eu continuo com o meu palpite: se Dawn chegar a final, ganha.  
- Ozzy foi para a RI e tem grandes chances de voltar ao jogo. Dos que podem ser eliminados até o Final 5, acho que hoje, apenas Albert e talvez Keith podem batê-lo. Se ele voltar e ganhar as Imunidades até o Final 3, quem sabe... Os torcedores do cabeludo (a propósito, não estou entre eles nessa temporada) ainda podem sonhar...
- Coach está na posição em que Rob esteve na temporada passada. Ele pode levar Albert/Sophie ou Brandon/Edna. Porém, ele precisa administrar bem possíveis mudanças de lado até o fim de jogo. Albert já ensaiou algum pensamento próprio antes da Fusão para tentar salvar Mikayla. Se o treinador de futebol não tomar cuidado, podemos ver um blindside, quem sabe? Embora eu acho que isso dificilmente irá acontecer.
- Brandon virou o novo guarda costas de Cochran? Uma homenagem a isso!




quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A vingança do nerd

- Cochran e seus irmãos!

  Muita polêmica nessa semana no twitter e entre os fãs de Survivor nos EUA e aqui no Brasil. Cochran acertou ou não ao mudar de lado? Foi nisso que a edição do episódio se focou. Tudo: Ozzy e seu plano maluco, a Savaii, Dawn indecisa, Coach e a sólida (como já era de se esperar) Upolu... tudo isso acabou ficando em segundo plano graças a decisão que Cochran tomaria e que fatalmente mudaria os rumos do jogo.
  Eu fiquei surpreso e não surpreso ao mesmo tempo. Explico: ao mesmo tempo que não acreditava que Cochran teria coragem suficiente para se voltar contra a própria tribo, eu também achei que Cochran não suportaria a pressão de ter que encarar as famosas pedras. No final, acabou vencendo o medo de ele acabar sendo eliminado pelas pedras e a lealdade dele com a Savaii foi pro saco. 
  Acho que Cochran poderia ter feito melhor uso com o Ídolo, enganar a Upolu e tentar eliminar alguém da tribo azul na sorte, pra aí sim, depois, talvez mudar de lado. Apesar de achar que Cochran já estar numa situação muito ruim em termos de possibilidade de ganhar o jogo indepedente da decisão que ele tomasse, acho que a Upolu num eventual Júri ficaria muito menos irritada do que a Savaii. Por mais que Coach fosse ficar irritado com o nerd, tentar influenciar a galera do Júri para não votar nele, se Cochran fosse malandro e esperto o suficiente, ele poderia manipular a Upolu dizendo que foi um jogo e que ele fez isso por ele e pela Savaii, enfatizando que ele esteve por todas as grandes decisões do jogo (por mais que isso não fosse verdade), utilizando uma estratégia semelhante a que o vencedor ou vencedora de Survivor Vanuatu (para quem já viu a temporada Vanuatu, clique aqui) para o Conselho Tribal Final. 
  O grande erro de Cochran não está só no fato de ele ter mudado de lado ou não, mas em COMO ELE FEZ ISSO. Por isso eu acho que se ele ficasse com a Savaii, manipulando a Upolu como eu disse no início do parágrafo anterior, ele ficaria bem com a tribo vermelha e se ele fosse esperto, ele poderia fazer o controle de danos com a Upolu até a Final e ter alguma chance relativa de vitória. Até mesmo a Upolu poderia respeitá-lo mais pelo fato dele ter ficado com a tribo, enfim. Aí vem um bom argumento a favor da decisão de Cochran: no Final 6 ele seria um grande candidato a sair. Se ele fosse bom o suficiente, no Final 7 poderia puxar Jim e Dawn junto com ele e pegar o último restante da Upolu (que poderia ser qualquer, menos o Coach) e garantir no mínimo um Final 4. Ou ele poderia ter tido uma coragem ainda maior de ficar com o Ídolo pra ele e não devolver à Ozzy, mas reconheço que isso seria ainda pior para ele, pois roubar um Ídolo e ainda mais na cara de pau seria muito ruim pra ele. Como o Glaúcio falou na Survivor Downloads, ele tomou a decisão por medo, não porque ele é um grande jogador ou um grande estrategista. Mas para a edição é conveniente, pois Cochran é um herói perfeito: ele é um fã de Survivor, um representante da audiência no jogo como há muito tempo não se via. Ele tem algumas tiradas engraçadinhas, faz algumas imitações bizarras, demonstra seu grande conhecimento do jogo nos confessionários e Conselhos Tribais e ainda é um cara legal, bonzinho. Enfim, a jornada do herói descrita onde Cochran é protagonista é perfeita para um programa de TV.
  Quanto ao futuro de Cochran no jogo, eu acho que ele deve, a princípio, ficar no fundo nessa nova aliança de 7. Mas Coach e outros da aliança dele podem perceber o óbvio: num Júri possivelmente com maioria Savaii, levar Cochran para um Final 3 significa ter um adversário a menos. Parece que inclusive teria uma cena secreta de gente da Upolu prometendo Final 4 a Cochran. Eu ainda acho que na cabeça de Coach o Final 3 ideal é ele, Brandon e Edna. Mas Cochran é mais uma possibilidade interessante, pois é quase certo que o nerd não ganhe essa temporada, ainda mais com Benji a seu lado.  
  Dito isso, vamos falar onde a Savaii errou. E errou feio. Pois apesar de Keith ter desconfiado de Cochran, Ozzy resolveu jogar o Ídolo para salvar Whitney. Vou repetir o que eu coloquei que pra mim foi o maior risco que o Mogli da Savaii corria com sua jogada louca: 

3 - Entregar o Ídolo e confiar em Cochran: De todos os motivos, esse é o mais forte. Como você entrega uma arma poderosa ao ser maior inimigo? O cara que você declarou publicamente que queria eliminar? Por que não dá-lo a Keith, o cara mais fiel a ele no jogo? Até Jim ou Dawn à essa altura do campeonato seriam mais confiáveis. Assim ele perde a confiança de sua tribo, pois além de Cochran agora ter uma peça para salvá-lo, um dos cinco terá que rodar (Isso obviamente se a Fusão não rolar). Se a Fusão rolar e Ozzy vencer o duelo, Cochran pode não devolver o Ídolo se quiser e passar para o lado da Upolu. Ou se Cochran fosse esperto ele poderia usar esse Ídolo para manipulá-lo até o final e nunca devolver ao cabeludo. 

  Keith insistiu em fustigar Cochran. Por mais que eu considere Cochran fraco, eu entendo que em parte a decisão de votar com a Upolu foi uma vingança contra seus "companheiros". Como confiar a vida do seu jogo em alguém que visivelmente está sendo excluído por sua tribo? Por isso Ozzy errou ao pelo menos ter garantido a Cochran um Final 4 pelo menos. Cochran não foi em nenhum momento valorizado por sua tribo por ter feito o que fez. Achei a decisão de ter usado o Ídolo precipitada. Por que não esperar pelo movimento da Upolu? A Zapatera cometeu o mesmo erro na temporada passada. Dava pra desconfiar que Matt votaria com a Omelete. Assim como dava pra desconfiar que Cochran fatalmente votaria com a Upolu. Aí eu concordo com o Cesternino que disse que Ozzy quis fazer essa jogada pra aparecer e de certa forma para limpar a sua imagem muito arranhada após Survivor Fans vs Favorites. Foi uma jogada burra e sem nenhum plano B. Agora ele vai ter que depender de algum mole de Coach e da Upolu para voltar ao jogo e de seus bons desempenhos em desafios (vale lembrar que além de ter derrotado Christine na RI, ganhou a parte masculina no Desafio de Imunidade Individual).
  Por fim, achei estranho Dawn ter no início do episódio ter se mostrado tão amiga de Cochran, ameaçando até se juntar a ele no motim à Savaii para depois se mostrar 100% fiel a tribo. Isso remete a instabilidade emocional que ela já havia mostrado no segundo episódio. De certa forma, o fato de Dawn ser a personagem mais interessante reflete a falta absurda de qualidade dos personagens dessa temporada. É torcer para que a qualidade que tem faltado desde Samoa em termos de figuras novas no jogo volte na temporada seguinte.

Comentários aleatórios:


- Quem quiser rever quando as pedras foram usadas para desempate, em Survivor Marquesas CUIDADO SPOILERS PARA QUEM NÃO VIU SURVIVOR MARQUESAS!!!!! clique aqui.
- O título do post é inspirado no filme tosco, porém divertido A Vingança dos Nerds.



 É um filme legal, apesar de ser bastante datado. Vale a pena correr atrás.

- Foi legal ver Brandon defendendo Cochran do bullying de sua tribo. Ele ganhou muitos pontos com todos que o criticavam, mostrando um lado humano dele bem legal. Por isso eu acho que ele é uma das grandes figuras dessa temporada (PRA MIM!) ao lado de Stacey, por ser um cara mais humano e não um personagem pré-definido como a grande maioria da galera, embora não seja nada demais botando-o num contexto geral de personagens de Survivor. 

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Negócio arriscado

- Nesse Ozzy eu confio!

  O último episódio foi todo em cima da Savaii, mais especificamente no conflito de Ozzy. Ir para a RI ou não, eis a questão? A edição deu pistas claras disso no episódio inteiro ao já mostrar o duelo da RI direto, sem declarações de ninguém antes do duelo. Vimos que Christine ganhou mais um duelo e se manteve invicta na Ilha (dando uma de Matt, pelo menos por ora). De certa forma, enquanto víamos uma Savaii preocupada, com Ozzy levantando a proposta de ir voluntariamente de ir a RI para Cochran, a Upolu JÁ tinha uma edição de vencedora. Coach reunindo o time, a galera junta achando o Ídolo (isto é, para Albert, Sophie e Coach era a segunda vez), Benji pondo todo mundo pra rezar junto. Ou seja, a edição mostrava um time com um líder fragilizado e desconfiado da possibilidade de vitória contra um time certo de que ganharia. Apesar disso, vale mais um parabéns para os responsáveis pelo desafio de Imunidade. Em meio a mediocridade que reina nesta temporada, os desafios tem sido muito bons e disputados. Espero que essa qualidade se mantenha após a Fusão, com os desafios individuais. Este desafio, por tudo que ele envolvia, era decisivo. Mesmo com as pistas claras da edição, o desafio foi emocionante. Para a Upolu, festa e um filme com Adam Sandler. Para a Savaii, a tensão do Conselho.
  Inicialmente, após o desafio, Ozzy perdeu novamente a cabeça e se esquece da promessa que havia feito a Cochran, entrando em consenso com a tribo de eliminar o nerd fraco. Porém, no dia seguinte, aterrorizado com Christine, Ozzy resolve novamente ir a RI voluntariamente e entregar o Ídolo a Cochran. A tribo não aceita de início, mas após o Conselho, com o cabeludo explicando por A + B o plano maluco, acata a sugestão de seu líder e o manda para a Ilha da Redenção.
  A ideia é péssima por três motivos:

1- Não se sabe se a Fusão será depois do próximo desafio da RI: Ninguém falou oficialmente isso. Fazer isso assumindo que a Fusão está próxima é um grande risco, pois se não for, Ozzy corre o risco ficar mais tempo na RI e perder mais um membro da Savaii se rolar um desafio de Imunidade na semana que vem. Eu me lembro de um caso clássico em Survivor Thailand onde (SE VOCÊ VIU ESTA TEMPORADA OU ESTÁ CURIOSO PRA SABER O CASO, PASSE O CURSOR POR CIMA DO TRECHO EM BRANCO) as tribos pensaram que a Fusão clássica ocorreria com 10 pessoas, porém logo antes do suposto desafio de Imunidade individual, Jeff explica que apesar de estarem na mesma praia (as duas tribos, Sook Jai e Chuay Gahn, já estavam juntas na mesma praia desde um banquete no dia anterior), a Fusão entre as tribos não aconteceria. Ou seja, Sook Jai e Chuay Gahn ainda eram tribos separadas, porém vivendo na mesma praia. A Fusão oficial de fato só ocorreu dois episódios depois.

2- Ele pode perder o desafio na RI: A edição de heroína construída pela edição é bastante forte, semelhante a Matt na temporada passada. Dependendo do tipo de desafio, Ozzy pode perder, por que ele se ache o herói fodão que irá salvar sua tribo.

3 - Entregar o Ídolo e confiar em Cochran: De todos os motivos, esse é o mais forte. Como você entrega uma arma poderosa ao ser maior inimigo? O cara que você declarou publicamente que queria eliminar? Por que não dá-lo a Keith, o cara mais fiel a ele no jogo? Até Jim ou Dawn à essa altura do campeonato seriam mais confiáveis. Assim ele perde a confiança de sua tribo, pois além de Cochran agora ter uma peça para salvá-lo, um dos cinco terá que rodar (Isso obviamente se a Fusão não rolar). Se a Fusão rolar e Ozzy vencer o duelo, Cochran pode não devolver o Ídolo se quiser e passar para o lado da Upolu. Ou se Cochran fosse esperto ele poderia usar esse Ídolo para manipulá-lo até o final e nunca devolver ao cabeludo. 

  Isso mostra porque Ozzy é um grande atleta mas péssimo no jogo Survivor, tanto na parte de estratégia quanto no social. Ouvi no podcast do Cesternino ele próprio dizer que Ozzy é o único jogador na história de Survivor que involuiu. Em South Pacific, Ozzy ratifica que é um jogador péssimo. A jogada pode até funcionar, ele ganhando na RI, volte na Fusão, Cochran devolva o Ídolo e consiga de fato desenvolver a função de agente duplo. Mas isso depende de muitos fatores externos para dar certo, é contar muito com a sorte e a idiotice dos outros. 
  Por outro lado, Cochran mostra que é um dos jogadores mais sortudos da história do jogo, pelo menos por ora. O nerd não fez nada demais para estabelecer a sua já construída fama de grande jogador. Ontem de certa forma até vimos isso quando ele não se defendeu quando Ozzy o atacou depois do desafio de Imunidade e contou com a loucura de Ozzy para se salvar. A imitação dele péssima de Dom Corleone me deu vergonha alheia. Eu acho que Cochran não terá culhões e tutano para pegar o Ídolo de Ozzy de vez e usá-lo para si. Até porque ele irá ficar mal com todos se fizer isso. A não ser que ele o use de forma inteligente, como a deusa Parvati em HvsV. É esperar para ver.
  Na Upolu, ao contrário do que eu imaginava, não houve nenhuma grande ruptura por ora. Com a localização do Ídolo, Coach resolveu um eventual problema com Brandon ao incluí-lo nos planos futuros. A tribo azul me parece unida e inquebrável para a Fusão. Eu vejo alguém da Savaii passando para o lado da Upolu (Cochran ou até Jim) mais facilmente do que Edna (por exemplo) passando para o time vermelho. Independente de quem vier da RI, se a Fusão vier no próximo episódio, a pessoa irá jogar com a Savaii. Christine já deu todas as indicações (com Ozzy assistindo inclusive) de que irá contra seus antigos companheiros de tribo. É possível que ela tente puxar alguém dos azuis, mas acho que não rola. Ainda acho que as divisões que eu indiquei no texto passado ainda rolam e os pontos de dúvida que eu apontei (Brandon, Edna, Jim e Cochran) podem decidir o futuro do jogo. Até lá podemos nos divertir vendo Ozzy desesperado em sua loucura. 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O jogo começou

E a nojeira também!


  No post anterior fiz um texto mais focado nos personagens. Nessa continuação, irei falar da dinâmica atual de jogo. Se a temporada sofre com a falta de personagens carismáticos e com a RI, acho que as possibilidades de dinâmica nas tribos para a Fusão, principalmente após o último episódio ficaram bastante interessantes. Eu ainda acho que a temporada pode evoluir graças ao jogo e a loucura que ainda pode reinar no futuro.

Savaii

  Na Savaii, após o blindside em Elyse, Ozzy fez a besteira de ficar irritado com os outros por causa do blindside. Declarou que seria Free Agent (agente livre em português) e ainda chegou ao auge da idiotice ao dizer que tinha um Ídolo. Um pouco antes do desafio de Imunidade, ele se desculpou com a tribo e bláblá. Mas como Jim disse em mais um ótimo confessionário, de nada adiantam as desculpas agora. Ozzy acabou se isolando da tribo e por ora, perdeu o suporte que tinha. Porém, a vitória na Imunidade deu à Savaii uma sobrevida no jogo. É provável que a desvantagem na Fusão não seja tão grande, pois segundo as minhas péssimas contas de matemática, mesmo se a Savaii perder o próximo desafio agora de quarta e ficar em desvantagem numérica, ganha quem vier da RI (Christine ou Mikayla ou quem ser eliminado no próximo Conselho Tribal com uma vitória na Imunidade dessa semana). Ou seja, em termos de jogo, a vitória pra Savaii foi fundamental e a chance de vermos o que o ocorreu na temporada passada, com Matt fazendo a burrice de votar com Rob e dizer que ia votar com a Sapatera, ser eliminado e acabar com a temporada. A divisão interna da tribo na minha cabeça fica mais ou menos assim:

Cochran/Dawn
Whitney/Keith
Jim?
Ozzy?

  Pra mim, as duas primeiras divisões estão claras, até pelas votações. Ponho Jim em dúvida, pois agora em tese ele está com Cochran e Dawn. Mas pro final isso não é bom pra ele, pois num eventual Final 3 com eles e principalmente com Dawn, ele perde. Aliás, se Dawn chegar a final, ela ganha. Hoje ela é a personagem mais carismática do jogo (das que nas estão ilhadas na RI), uma espécie de (SPOILER DE SURVIVOR NICARÁGUA, PASSE O CURSOR DO MOUSE POR CIMA DA PARTE EM BRANCO SE VOCÊ VIU) Holly, que se chegasse a Final, teria ganho. Mesmo Cochran numa final teria mais chance com Jim, pois ele é o estrategista sem coração, enquanto Cochran é o nerd descordenado. Para Jim, levar Whitney e Keith seria melhor, pois são menos carismaticos (e espertos) do que Cochran/Dawn. Ozzy também está com uma interrogação, pois ele apesar estar mal com a tribo, ele ainda pode reatar com Whitney e Keith. No último episódio foi mostrada uma conversa com ele e Keith e eu não me surpreenderia que num eventual Final 4 com Jim, Keith, Whitney e Ozzy, o primeiro caia fora. Sem contar que as alianças podem flutuar na Fusão, com um dos duos + Jim se juntar a um grupo da Upolu. O que Jim e Ozzy fizerem daqui para frente, os rumos que eles irão tomar daqui pra frente serão decisivos para a Savaii pós-Fusão.

Upolu

  Eu me surpreendi com a Upolu no último episódio. Achei que as coisas iriam ficar como estavam, com Coach no centro de todas as alianças na tribo e os outros lhe ajudando a chegar a final. Porém não esperava que Albert vestisse o uniforme de técnico (pra quem não sabe, ele é técnico de encontros amorosos, como Will Smith no filme Hitch) de time de futebol e disputasse o cargo de treinador do Upolu Futebol Clube com Coach. Ele surtou com o fato de Coach querer Mikayla fora do time ao contrário da franzina Edna. Sophie (ah, pobre de mim que apostava nela...) acabou entrando na onda de Albert e os dois juntos tentaram argumentar com Coach. Aliás, a peregrinação dos dois em busca de votos para salvar Mikayla foi um dos bons momentos do episódio. Por fim, a decisão acabou ficando nas mãos do inexpressivo (até então) Rick. Quando vi esse episódio em casa eu pensei: "O bigodão deve estar puto agora porque ele vai ter de jogar". O clima de maluquice foi instaurado no Conselho graças a essa discordância e também por causa do sobrinho de Russell. Brandon quis insistir que aliança era mais importante do que a força física no time e fez um discurso completamente louco sobre confiança. El Loco, que deve ser amado pela produção, pois ele faz muito bem a função (embora sem o carisma de Phillip e Shane, por exemplo) de ser o criador de problema. Por fim, após um louco e bom Conselho Tribal, Rick se decidiu por mandar Mikayla para a RI. Uma coisa que eu gostei desse episódio é que eu fiquei surpreso, ao contrário do previsível blindside em Ozzy e Elyse. Eu ainda fiquei achando que talvez Mikayla ficasse ou que todos iriam se acertar na hora do voto e eliminariam a modelo de lingerie. Mas apesar da eliminação de Mikayla, um racha apareceu na aparente estável e unida Upolu. Sem ver o pós-tribal da tribo azul, eu disporia as alianças internas assim:

Coach/Edna
Albert/Sophie
Brandon?
Rick?

  Não vejo Coach se separando de Edna pois ela foi a única a ajudá-lo após a primeira derrota no desafio da RI, quando o grupo virou as costas pra ele. E, se ele viu a temporada passada, Edna é uma das parceiras perfeitas para o Final 3 junto com Brandon, pois ela não tem o respeito de ninguém no jogo hoje. Por outro lado, ela não tem ninguém com quem jogar e Coach é o líder da tribo e o centro das alianças. Se Edna trair Coach agora irá ficar numa posição muito ruim, pois ela está muito ligada ao Coach. Albert e Sophie estão evidentemente juntos e por ora, acho que ainda vão ficar juntos com Coach. Mas agora eles também poderiam mudar de lado e ficar com Rick e eliminar Coach no Final 4 ou até (acho isso muito improvável) mudar de lado e jogarem com a Savaii. 
  Brandon e Rick são as incógnitas da tribo. Após esse último Conselho e com a declaração de amor de Coach seria fácil imaginar que Lil Hantz ficaria com o líder da tribo. Mas além de Brandon ser um louco instável, há o segredo do Ídolo. Se Brandon descobrir de alguma forma que o Ídolo está com Coach, e isso pode realmente acontecer, acho que Brandon poderia ir tranquilamente contra Coach e a Upolu, pois o treinador não foi "honrado" com ele. Além disso, na posição atual, não vejo Brandon se juntando com Albert e Sophie. Acho que Brandon, junto com Ozzy, Jim e quem voltar da RI podem determinar quem será o vencedor dessa temporada, junto com as suas decisões. Por fim, Rick é uma incógnita, pois apesar de ter votado em Mikayla e concordado com Coach, isso não garante que no final ou em algum outro momento anterior, o bigodudo acabe ficando com Albert e Sophie. Acredito que esse será o dilema dele até o final.
  É isso. Acho que essa temporada pode não estar ainda empolgante, mas acredito que ela ainda pode melhorar. Ao contrário da temporada passada, apesar desse elenco ser fraco em carisma, acredito que o aspecto de jogo pode compensar. Vamos ver.


P.S. Perdoem a falta de textos sobre The Amazing Race, mas estou meio enrolado. Até o fim de semana se possível tentarei redigir um grande texto sobre a atual temporada em si.     

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Torcidas

A minha nessa temporada já foi...

  Todo mundo sabe que torcida é algo totalmente subjetivo. Podemos torcer para um clube de futebol, um time de basquete, um ente querido, o mocinho (ou o vilão, dependendo de quem lê este texto) de um filme ou um livro... Mas nós torcemos de modo diferente para as coisas. Quem escolhe um clube de futebol pra torcer não muda, a não ser em poucas (e bizarras) exceções. Eu sou fã do Chicago Bulls na NBA, mas nesse ano torci fervorosamente para o Dallas Mavericks na final, como se o Dallas fosse o meu time de coração. Torcemos por um ente querido por motivos óbvios. 
  No caso dos reality shows, isso funciona de um modo único, pois a cada temporada (a não ser as All-Stars e com retornantes) o elenco muda e nós temos de nos afeiçoar a novos personagens. Não vemos clubes de futebol, basquete, seleções de esportes, séries e etc mudarem a cada ano (no caso de Survivor e The Amazing Race a cada seis meses). Acredito que a torcida é fundamental para estabelecer a comunicação do programa com o espectador. Eu virei fã de Survivor principalmente por causa de figuraças como Rob C., Sandra, Jonny Fairplay, Russell, Parvati, Boston Rob, Cirie... Essa empatia com essas figuras, esses tipos de personalidade representados pelos jogadores me faz querer continuar vendo Survivor e aturar temporadas com Dan, Purple Kelly, Ashley e Natalie, por exemplo.
  Confesso que nas últimas temporadas em tenho tido dificuldade em torcer, pois me apego a poucas pessoas. Em Nicarágua, gostava da NaOnka pela confusão e só. Em RI, gostava da Frangolina e Kristina, pois elas eram jogadoras agressivas e que eram interessantes, e de Philip por que... ah, não vou dizer o porquê, basta ver meus posts com um vídeo dele por média. E agora nessa temporada, só gostei mesmo de Stacey. Ou seja, em três temporadas, só duas pessoas me fizeram torcer com paixão. Eu duvido que a média de quem está lendo agora é muito maior do que a minha. 
  Eu esperava que Survivor tivesse aprendido com os erros da sua última temporada. Mas não. Os jogadores retornantes prejudicaram a dinâmica das tribos de novo, com os novos cercando as suas alianças ao redor deles e sem elaborarem nenhum plano para eliminá-los, por medo de serem excluídos. Se eles não contestam e não mostram seu brilho próprio, não valem a pena serem mostrados. Quem ousa sair da linha e contestar o poder, é eliminado. O pior é que perdemos bons jogadores, figuras que podiam ter uma relevância dentro do jogo. Como os outros não aparecem (a não ser para fazer uma procura idiota por um Ídolo que não vai ficar com você, não é, Albert?), os retornantes ganham muito mais tempo de edição e a história se passa com quase nenhum conflito. Isso aconteceu na temporada passada com Rob após a Fusão e tem tudo pra se repetir nessa com Coach.
  O Edu na Survivor Downloads falou e eu também ouvi no podcast do Cesternino e concordei: a tendência com a eliminação de Elyse e a perda de poder de Ozzy na tribo é que a Savaii seja presa fácil da Upolu unida na Fusão. Foi bom vermos um blindside de novo, um grande momento dentro da temporada, mas nem de longe me empolguei, como em H vs V em vários episódios, ou até na temporada passada com Matt (duas vezes). A edição foi dando algumas pistas de que isso podia acontecer, quando Keith contou para Whitney sobre o Ídolo de Ozzy e os dois se questionando se deviam seguir com o cabeludo ou não. Achei até boa a sacada de Whitney de votar em Dawn pra que Ozzy não ficasse furioso com eles. Mas isso pode acabar se voltando contra eles, pois Jim, Cochran e Dawn podem perder a confiança neles. Enfim, apesar da possibilidade de vermos uma nova dinâmica tribal mais explosiva na Savaii ser algo interessante, acredito que isso vai acabar ferindo-os na Fusão e sendo presas fáceis de Coach e sua turma. A não ser que alguém da Upolu volte da RI e consiga unir o que restar da Savaii, não vejo a tribo de Ozzy tendo um bom futuro.
  Falando da RI, eu me defini: ela é um saco. Não adiciona nada ao jogo, faz com que tenhamos momentos idiotas e sem sentido (como as despedidas das pessoas em geral) e faz com que Jeff Probst tenha um poder no jogo que ele não tinha antes. É inegável que desde que o apresentador virou produtor executivo ele ganhou muito mais poder. Para quem viu algumas das temporadas mais antigas, Jeff parecia mais um conselheiro, um daqueles terapeutas de grupo para os quais as pessoas vão expressando os seus problemas, enfim, um cara legal, com um bom espírito. Com o tempo, Jeff passou a ser mais e mais agressivo, que ao invés de somente ponderar e observar situações, impõe certos comportamentos, favorecendo certos jogadores em determinadas situações. Com a RI, ele tem agora mais uma ferramenta para isso, com possíveis conselhos para jogadores, afirmações que induzem comentários dos jogadores sobre os seus sentimentos e estratégias os quais eles não dariam normalmente, na maior parte das vezes desnecessárias e que seriam melhor ocupadas em tempo com um bom e velho desafio de recompensa, ao invés dos chochos desafios da RI. Pra mim, a RI serve pra que a produção gaste menos dinheiro com desafios e que Jeff tenha mais um momento para ser um jogador ativo no jogo. Eu pretendo no futuro fazer um post falando mais sobre o impacto crescente de Probst no jogo, mostrando isso ao longo das temporadas, aprofundando mais esse ponto de vista.
  Voltando a questão da torcida, não consegui me apegar a ninguém até agora nessa temporada. Até botei que estava torcendo pra Coach na comunidade, mas eu não estou empolgado com Coach nessa temporada, pelo fato de ele estar muito normal nessa temporada. Cadê os surtos, citações bizarras, etc? Tanto que tem muita gente da comunidade gostando do Coach. Albert, Rick, Sophie, Edna, Mikayla... Não me dizem nada. Por mais que Brandon seja um pé no saco, ele me entretém mais do que o silêncio do Rick ou os comentários irrelevantes de Sophie e Albert. Na Savaii, Ozzy parece um disco quebrado, arrogante e pretensioso como sempre. Keith e Whitney parecem ter algo estratégico em mente, mas eu duvido muito. Me parece que eles só estavam irritados com o Ozzy pelo fato dele ter escondido o Ídolo da loira e ciumeira de Elyse. Eu gosto de Dawn e Jim por motivos diferentes. A primeira pelo fato de ser uma personagem simpatica, a mãezona legal que se supera nos desafios. Jim, por outro lado, me atrai pelo fato de ser o único no jogo inteiro (além de Cochran, é claro, e dos retornados) que sacou que está no programa chamado Survivor que tem o objetivo de eliminar pessoas a cada três dias até o fim. Acho que ele finalmente percebeu que estaria no fundo da aliança do jeito que as coisas estavam. Agora ele sabe que sem Elyse ele pode alcançar uma posição melhor na final.
  Resolvi deixar propositalmente Cochran por último pela Savaii. Quando eu vi Rob Cesternino em Survivor The Amazon, eu gostei dele porque ele era um cara hilário num reality show. Era uma espécie de comentarista palhaço dos episódios. O Mario Lanza no Funny 115 disse correntamente que o Cesternino foi o primeiro personagem de Survivor que falava DIRETAMENTE com o telespectador. Ou seja, um cara que tinha plena consciência de que estava num programa de TV. E mais: Cesternino fez aquilo de modo natural, sem forçar. Ao ver o Cesternino, eu me sentia vendo Survivor com um amigo palhaço, com o cara que falava tudo sobre o jogo e os jogadores, que nós pensamos. O cara que encarna a audiência. Isso é o exatamente oposto do que vejo em Cochran. Ele é afetado demais, suas piadas parecem sempre ser muito forçadas (mesmo as engraçadas), do tipo que a edição põe para construir o personagem. Nos primeiros dois episódios fica muito evidente que ele está tentando representar um personagem que ele gosta, ser um Cesternino. O único momento que eu acho que Cochran se solta mais é no Conselho Tribal, quando acho que ele dá maior vazão a sua persona. Não duvido que ele seja assim na vida real, mas acho que ele está sendo ele demais, muito forçado.
  Ao contrário da minha homenageada na foto de abertura e que deixa saudade desde já, nossa amada Stacy. Ela tem personalidade e carisma próprios. O que foram as sonoplastias? BLAM! BOOM! BOOM! DING! E outras. E Benjamin? Claro, por que Benjamin é seu nome de batismo. Infelizmente, graças a sombra de Coach, ela não brilhou como poderia. Stacey foi uma personagem diferente, a única que me cativou porque ela foge dos padrões atual dos Survivors de hoje: atleta e avulsas burros e estrategistas arrogantes que acham que sabem mais do que todo mundo. Eu recomendo, quem tiver um bom nível de inglês e entender o sotaque dela, ouça a entrevista da Stacey ao Cesternino aqui. Vale a pena. Mas pra quê palavras, quando as imagens dizem tudo? Uma singela homenagem a Stacey. Ela merece.

1- Melhores momentos da Diva no episódio 1, incluindo uma procura fracassada pela pista do Ídolo:



2- Melhores momentos do episódio 2, com os efeitos sonoros durante o Conselho Tribal. BAM!



3- A "origem" de Benjamin:



4- O fechamento com chave de ouro: a saída triunfal do Conselho Tribal, com direito a um fora lindo em Coach:



BAAAAAM!

Comentários aleatórios:


- Não falei de Christine, mas ao contrário de Stacey, não gosto dela. Não acho ela um personagem cativante, mas pode causar um bom conflito se voltar.
- A RI ainda tem o aspecto negativo de tirar um momento de alto impacto do programa: a eliminação. O grande ato do programa, uma glória ou humilhação marcante. Agora a eliminação definitiva é um momento clichê, com choro, declarações irrelevantes e a absurda (e IMBECIL!!!) queima da bandana na saída. Ah, chega de RI, por favor.

P.S. Desculpem pelo atraso no post. Até segunda ou terça o próximo post, focado mais nas possibilidades atuais do jogo, falando também sobre o capítulo de ontem será publicado. E neste também falarei sobre TAR.
             

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A tentação de Lil Hantz

- Afaste esta tentação de mim...


  Eu gostei dos últimos dois episódios de Survivor South Pacific. Estão longe de ser o que a gente viu no início da temporada passada. Por outro lado, vimos como terminou: uma verdadeira mamata para Boston Rob e Jeff Probst e um saco para nós, a audiência. Apesar de ter achado esse início fraco, acho que algumas coisas que aconteceram nos últimos episódios podem ser geradoras de grandes conflitos e histórias futuras. Com exceção das temporadas Ouro (que está lá minha lista de temporadas no tópico da Survivor Downloads "Rankings das Temporadas" ) Pearl Islands, H vs V e The Amazon, onde boas histórias, blindsides e fatos bizarros aconteciam o tempo todo, na maior parte das temporadas, os grandes movimentos das temporadas vão sendo construídos pouco a pouco, com pequenas (ou as vezes até grandes) dicas dadas pela edição.
  O primeiro fato é a presença de Brandon e sua briga insana com Mikayla e a revelação para a Upolu que ele é o Eleito Fodão Loco sobrinho de Russell Hantz. A história com Mikayla é algo absurdo e de certa forma reflete um pouco como nós vemos esse tipo de situação por aí: Brandon perdeu a cabeça dele por causa de uma mulher '''''''bonita''''''. Logo ele identificou a suposta cópia de Poverty, digo, Parvati, como uma grande ameaça ao seu jogo, numa situação semelhante ao que seu tio se meteu em H vs V. Porém, a pobre menina não havia feito nada, a não ser uma nova cópia da Purple Kelly, com caras e bocas e estar sendo surpreendida o tempo todo no Conselho Tribal da Upolu. Brandon mentiu para Coach (o líder da tribo) ao dizer que Stacey e Christine votariam em Mikayla. Em uma das melhores cenas da temporada até agora, as duas véias da tribo negaram veementemente que votariam na modelo de lingerie. Christine se defende como pode, Stacey faz caras e bocas, Mikayla fica com uma cara de idiota e Brandon mexendo a cabeça o tempo todo. No final do Conselho, Christine pagou pelo seu isolamento, procuras fracassadas pelo Ídolo e declarar guerra à Coach logo em sua primeira fala e acabou sendo mandada pela RI. 
  A saga de Brandon continuou no episódio seguinte quando ele se revela preocupado com a '''''dualidade''''' (que também pode ser chamada de maluquice ou excesso de testosterona) em relação ao comportamento com Mikayla e seus companheiros de tribo. No episódio anterior, ele já tinha contado a Coach sobre o fato de ser sobrinho do grande nêmesis de Coach (ah, Coach, Coach...) segundo o grande líder da tribo. Neste episódio ele fala com Sophie, tira a camisa e revela a todo mundo o grande segredo. Depois ele ainda vai ter uma conversa com Mikayla, tentando pateticamente explicar por que queria ela eliminada. Acho que o fato de ele ter feito essas besteiras todas pode ter um efeito contrário do que aconteceria normalmente (ou seja, ser eliminado): Brandon está mal com a galera. Se a Upolu chegar em maioria na Fusão e no Júri, ninguém vai votar no Brandon, nem que ele vire o melhor cara do mundo. Se Coach viu a temporada passada, sabe que a estratégia certa é levar Brandon à final, agora mais do que nunca. O problema é que talvez a galera da Upolu também tenha visto a temporada passada também. Os grandes dilemas da Upolu de agora até o fim do jogo são os seguintes: para Coach, como levar Brandon e mais alguém para a final, para as pessoas na aliança principal é até quando confiar em Coach e para Mikayla, como tirar o alvo gigante que se formou em suas costas, pois inevitavelmente ela chamou a atenção para ela. Ela não está na aliança principal (Coach, Brandon, Rick, Sophie e Albert) e no momento, eu vejo ela na reta de eliminação da Upolu, logo após a pobre Stacey. Cabe a ela tentar mudar a situação, se esforçando nos desafios e começar a jogar o jogo, coisa que parece que ela não está fazendo ainda. 
  Por falar em Stacey, o que é essa mulher? O que foram as reações hilárias no Conselho Tribal da Upolu e no episódio anterior, ao soltar um "BAM!" a là Ralph de RI e fazer uma careta hilária. Reconheço que cometi um erro enorme ao não reparar nela nas primeiras vezes em que vi os episódios, mas enquanto escrevo esta coluna, eu vi algumas vezes e me rachei de rir. Por isso, vou iniciar uma nova campanha...
  
DEPOIS DE PHILLIP NO FINAL 3 NA TEMPORADA PASSADA...

CAMPANHA FICA STACEY!!!!!!!!

 Se você quiser continuar vendo reações hilárias como essas nos vídeo abaixo, junte-se a nós!



  Infelizmente, acho que Stacey terá vida curta na Upolu, a não ser que ela consiga de alguma maneira, desviar o foco para Mikayla ou Edna ou até mesmo Brandon, se ele continuar surtando. Tomara que ela consiga.
  Na Savaii, Ozzy achou um Ídolo em 0,000000000000000000000000000000000001s. Mais uma vez, a produção dando mole e facilitando para que os jogadores achem o Ídolo. Ele deu uma de Mogli, pulou nas árvores e achou o Ídolo em uma árvore! Me lembrei de Survivor Guatemala (SPOILERS DE SURVIVOR GUATEMALA, SE VOCÊ NÃO VIU, NÃO PASSE O CURSOR NA PARTE ESCRITA EM BRANCO) onde Judd mentiu pra galera da tribo fundida dizendo que o Ídolo, definitivamente, estava no chão. Gary o desmascarou e mostrou a todos no Conselho Tribal que Judd tinha mentido. Vale a pena ver esta cena de novo aqui. Enfim, localizações idiotas para Ídolos a parte, a coisa parecia boa para Ozzy ao final do episódio 2. A Savaii venceu o Desafio de Imunidade após estar perdendo feio, ele tinha fechado uma aliança aparentemente sólida com Keith, Jim, Whitney e Elyse. No início do terceiro episódio, ele cometeu um erro fatal, que mostra mais uma vez que ele não evoluiu como jogador: contou a Keith que estava com o Ídolo. Keith me surpreendeu ao contar pra Whitney que Ozzy abriu o bico pra ele sobre o Ídolo. Em seguida, a Savaii perdeu o desafio de Imunidade. Mesmo assim, a tribo seguiu com a política de eliminar os fisicamente mais fracos e mandar Papa Bear para a RI. Papa Bear, aliás, foi uma das poucas figuras com as quais me simpatizei na temporada. Ele tem boas tiradas e uma ótima noção de jogo. Numa possível twist, poderia fazer um estrago. Porém ele foi mal no desafio. Ele ainda tentou usar o truque mais manjado dos últimos tempos (que só o Russell caiu): fingir que achou um Ídolo (o que proporcionou uma das cenas mais bizarras e hilárias da temporada: a corridinha patética na mata.




  Cochran sacou qual era a dele e disse ao pessoal antes do Conselho (para se defender, pois ele também estava na berlinda) que devia estar armando. Apesar de alguma luta, Papa Bear acabou sendo eliminado. Porém, ele deixou uma interessante declaração para Jim durante o Conselho: "Eu estou entre os 3, não tenho nada a perder, estou excluído mesmo. Por outro lado você está entre os 5 e corre perigo". Isso casa com o que vimos no preview bastante interessante e animador do próximo episódio, com Cochran e Jim se juntando possivelmente para derrubar Ozzy. Cochran não teve muito destaque nos últimos episódios e no pouco que apareceu continua sendo um fã de Survivor afetado interpretando o nerd bitolado em Survivor com umas piadas bem sem graça. Ainda não fui muito com a cara dele, mas acho que ele realmente pode fazer um grande jogada para mudar a temporada. A figura dele pode não ser muito simpática PRA MIM, mas acho que ele pode render muito com bom jogador. A aliança com Jim é bastante interessante, pois ele é um outro cara com alguma boa noção de jogo. Ele deu uma de Boston Rob ao nomear uma estratégia (3plus2) e parece ser um cara esperto. Ele está no fundo da aliança com Ozzy. Sacando isso e parando de seguir os jovens e gloriosos de sua aliança somente e criando a sua própria, ele pode ser um dos grandes nomes dessa temporada.
  Por fim, eu acho que essa temporada pode melhorar e muito. O começo pode não estar animador, mas pelas dicas que a edição vem dando e que eu acho que saquei ao longo dos episódios e como a temporada vem se desenhando, podemos ver possíveis blindsides por aí. Como diria o nosso amigo (lá vem porrada) Russell, Keep Hope Alive.

Comentários aleatórios:

- Uma coisa que deve ser ressaltada nessa temporada é a qualidade dos desafios. Achei que só o primeiro ia ser bom, como disse no post anterior, mas a qualidade continuou. Apesar da ausência dos desafios de Recompensa e da RI, acho que se os Desafios de Imunidade continuarem bons, inteligentes e bem disputados, o corte do desafio de Recompensa "pode" ser justificado.



- Me supreendi ao ver Semhar perder para Christine na RI. Confesso que fiquei triste ao ver a poetisa partir. Agora não veremos mais ela recitando poemas a esmo durante os episódios. Numa boa, não quero ver Christine voltar da RI, ainda mais com a chegada de Papa Bear. Espero não ver Matt 2 - A Missão da RI nessa temporada.
- Não falei de algumas pessoas do jogo, mas porque elas não apareceram muito. Mas vamos lá:

Dawn - Está numa posição boa, pois tem a simpatia de Ozzy (e da sua aliança devido ao bom desempenho  no desafio anterior) e está bem com Cochran. Ela pode ser uma das que mais irá se beneficiar com a possível mudança de rumo na Savaii. Se tivesse que apontar uma possível vencedora, apontaria ela, por ora.
Elyse- ???????
Edna- Apareceu pouco nesse episódio, mas eu acho que está numa boa posição devido a amizade com Coach. Ao contrário de seu colega Ozzy, Coach parece estar mais no controle de sua tribo hoje.


The Amazing Race - Estreia da temporada 19


  Eu confesso que devido a excelente temporada passada, esperava muito mais dessa abertura de temporada do TAR. Ainda mais com Ethan e Jenna. Porém, nada me impressionou muito. As provas me pareceram meio bobinhas (a não ser a inicial, que teve alguma dose de tensão). Gostei das inovações que foram implementadas no jogo e que podem dar uma pimenta para o próximo episódio: o Hazard, onde os times que não completaram a primeira prova tem de fazer uma prova extra e a dupla eliminação para o episódio que vem.
  Não gostei muito ainda de nenhuma das duplas. Em todas as temporadas, existem as duplas padrão: irmãos engraçados, irmãs surtadas, marido e mulher brigando o tempo todo, ou seja, os clichês. Porém nessa temporada, os clichês pareceram mais repetitivos do que nunca. A única dupla que eu realmente me simpatizei foi com o casal de velhos que ficou em último, que são muito legais e tranquilos. Ethan e Jenna não me impressionaram, mas foram até bem no quarto lugar. Espero que no episódio que vem, as provas melhorem e que os personagens saiam um pouco de seus papeis pré-definidos e apareçam.

sábado, 17 de setembro de 2011

OK

É, parece que Ozzy não gostou da proposta de Semhar... Que mané!

  Em geral, quando dou um título para um post penso em uma frase, expressão ou palavra para resumir o que foi o episódio ou um determinado momento da temporada. Depois de ver esse episódio, não ter uma opinião formada sobre nada, a única coisa em que pensei quando acabei de ver a premiére de Survivor: South Pacific foi "OK". 
  No geral eu gostei do episódio. Algumas coisas me impressionaram, como a apresentação de Ozzy e Coach na RI, dando um peso mais siginficativo à ela do que na temporada anterior, o primeiro desafio de recompensa sendo entre os dois ex-jogadores (como deveriam ter feito o esperado duelo entre Rob e Russell). O ridículo gesto de Ozzy (dando uma de Coach), dizendo que estava orgulhoso de estar na Savaii por que o vermelho é a cor do coração. A vitória de Ozzy parecia ter deixado Coach numa posição inicial difícil, pois ele ficou com uma moral mais baixa entre a tribo do que já tinha no início. Gostei do desafio de Imunidade, que parece se encaixar na nova política de gastos em desafios de Survivor: "Vamos gastar muito num primeiro desafio foda com três níveis de provas e depois vamos fazer desafios mais babacas, pois a grana tá curta, mas não podemos mostrar isso desde o primeiro desafio". De qualquer forma, eu gostei do desafio e da dinâmica dele, pois eu fiquei em dúvida até o final, mesmo com Semhar afundando a Savaii em sua "grande" especialidade.
  O que me leva ao ponto que me fez ficar em dúvida da temporada: o elenco. Além de Cochran, Papa Bear e Semhar, nenhum dos novos me impressionou. Eu sei que meio mundo já virou fã do Cochran, o facebook já deve ter milhões de amigos após esse episódio, já criaram alguma comunidade sobre ele no orkut e quando ele vier ao Brasil milhares de fãs vão atrás dele. Claro, porque ele é um nerd jogando Survivor. Entendo a empolgação em cima dele, inclusive postei na Futurologia que ele era favorito a ser uma das grandes figuras da temporada. Ele é alguém como nós da audiência, como eu, a galera do Survivor Downloads e espalhada pelo resto da net, um fã de Survivor lá com os grandes astros, sendo um deles (algo que não víamos desde Stephen em Tocantins). Tanto que em vários momentos ele faz referências ao show, quando logo em sua primeira fala ele fala sobre o fato de Probst gostar das pessoas que ele gosta pelo sobrenome (Mariano, Donaldson, Penner(?????), etc.), passando pelo seu nervosismo ao ficar de cueca na água junto com as garotas (a là Rob Cesternino) e na hora durante o Conselho Tribal que ele pede que Jeff espere antes de soltar o bordão: "Vamos a votação". Achei que ele pareceu muito preso e forçado nesse episódio. Ele disse em seu perfil pré-jogo divulgado que ele seria uma mistura de Penner, Yul e Cesternino. O que me pareceu que ele ficou muito preso ao papel "nerd esperto que quer se dar bem Survivor". De fato, Cochran não me empolgou muito nesse episódio, mas acho que ele pode seguir um caminho semelhante a Kenny de Gabon (ATENÇÃO!!! SPOILERS DE SURVIVOR GABON estarão em branco após o parenteses, passe o cursor por cima do mouse se você viu a temporada) que começou tímido e preso ao seu esteriótipo de nerd, mas ao longo do tempo foi se soltando e evoluindo dentro do jogo. Ainda há esperança para Cochran. Gostei de Papa Bear, pois ele foi exatamente o cara que eu esprava: uma figuraça e com um plus: boa noção de jogo. Puxou espertamente Dawn para um canto, chamou a atenção que os fracos e oprimidos tinham de se unir para firmar uma aliança (ele, Dawn e Cochran). E Semhar me agradou por dois motivos:

1- Pra mim, ter roubado o papel de mais gostosa da temporada de Elyse:


2- Ter sido, na minha opinião, a única da aliança dos atletas-modelos a dizer alguma coisa e ser diferente. O impressionante é que ela ascendeu e caiu no mesmo episódio. Quando ela declamou o seu poema e Ozzy se derreteu todo por ela, Semhar estava garantida pelo menos até a Fusão. Porém, quando tomou a infeliz decisão de ser uma especialista (Philip, The Specialist teria assinado isso) em arremesso, Semhar se colocou automaticamente na berlinda. 

  Daí veio uma coisa bem observada pelo Rob Cesternino em seu podcast e que quando percebi isso, me irrtei demais: o fato de Jeff querer fazer comentários e observações sobre todos os desafios. E mais: um jeito de manipular quem vai ficar ou sair. Ele deve ter visto que talvez Cochran estivesse em perigo e fez aquela pergunta totalmente desnecessária a Jim. Semhar deu uma resposta errada e isso acabou fazendo com que Jim fosse na jugular dela, pois ele sabe que se Ozzy mantivesse as mulheres jovens e gostosas com ele, como ele quer fazer, Jim ficaria no fundo da aliança. Adicionalmente, tem o fato de supostamente Semhar ter irritado tanto Probst que ele teria declarado em off a Dalton Ross (um colunista famoso de Survivor) que Semhar o irritou demais durante o desafio. Por fim, a briga ocorreu e estendeu até a volta ao acampamento. Semhar correu atrás de todo mundo para se salvar e eliminar Cochran. Mas no final das contas, a vontade de Jim foi feita e Semhar foi para a RI. De fato, agora após essa eliminação, Jim fica numa posição interessante e a edição nos deixa essa dúvida: Ozzy mudou de ideia em relação a Cochran porque ele quis ou por causa de Jim?
  Quanto aos outros integrantes da Savaii, nenhum deles me empolgou até agora. Dawn ficou com a imagem de velha chorona, Whitney e Elyse ficaram sendo as gostosas aleatórias (alô, Ashley? Natalie?) e Keith não foi o cara que eu esperava que ele fosse.
  Em relação a Upolu, a história contada pela edição foi protagonizada por Coach e Brandon. O primeiro por motivos óbvios e pelos quais contarei mais tarde. Brandon fez o que eu esperava: tentou jogar ao contrário de seu tio, sendo simpático com todo mundo, pescando e sendo o provedor e... em uma das cenas mais esquisitas da história, confessando sua tara incontrolável por Mikayla, chamando-a de Dalila! No mínimo estranho!




 Eu achei interessante a saga dele para esconder a sua identidade, pois o cara tatuou o nome Hantz escrito nas costas e agora ele não pode tirar a porcaria da camisa. Sophie já disse que desconfia dele. Ou seja, isso deve render pano pra manga nas próximas semanas, pois se Brandon for descoberto, já era. Christina e Stacey também tiveram algum destaque ao caírem na armadilha do Ídolo.
 A armadilha do Ídolo ocorre da seguinte maneira: a primeira coisa que o jogador faz é correr atrás de um Ídolo assim que chega ao acampamento. Russell fez isso em Samoa e HvsV, onde ninguém conhecia essa estratégia e a ele tampouco. Agora, todo mundo conhece essa estratégia e sem contar que essas pessoas só procuram o Ídolo e se esquecem que existe uma tribo e que se elas se integrarem com os outros não precisarão do Ídolo. No caso de Christina e Stacey é até compreensível, pois as duas são mais velhas e automaticamente os alvos mais naturais para primeiras elminações. Porém, Christina ainda foi mais além ao dizer logo na apresentação de Coach que ele era um jogador temporário. E Stacey foi ainda mais além ao insistir no erro, pois ela procurou o Ídolo e não o encontrou na cara dela! Foi uma das procuras de Ídolo mais cômicas da historia, ao lado de Ralph achando um Ídolo catando pedras (??????) na temporada passada. Com isso, as duas acabaram se colocando na berlinda automaticamente, pois além disso não estão na aliança principal da tribo. Não me surpreenderia se ordem de eliminação na Upolu ser Christina e Stacey (o que pode ser uma boa para Semhar na RI). Sophie é outra que não me impressionou, mas deve crescer. Falou em russo com Coach, protagonizando uma das melhores cenas do episódio e já está de olho em Brandon. Parece ser esperta e caiu na aliança certa. Edna por enquanto me decepcionou ao se colocar ao lado de Coach, não pelo fato de estar com Ben Wade, mas por não ter o instinto de jogo que eu achava que ela teria. Por ora, ela realmente lembra mais Mick de Samoa, como ela disse em seu perfil pré-jogo. De resto, Rick, Mikayla e Albert me pareceram irrelevantes por ora.
  Quanto a Coach e Ozzy, por ora parece que o líder da Upolu saiu na frente após esse episódio. No início, após a recepção whatever, a agressão de Christina, a derrota no desafio e o fato de grupo todo (menos Edna) tê-lo isolado na saída do desafio inicial, a coisa parecia estar ruim para Coach. No acampamento, Coach fez o que tinha de fazer: começou a socializar com todo mundo, ajudar no trabalho de acampamento, ser um cara normal, não o Coach louco das temporadas anteriores. Depois de ganhar o desafio de Imunidade e contar com o apoio da aliança mais poderosa da tribo, por ora Coach me estar em bons lençóis, em uma situação SEMELHANTE a de Boston Rob na temporada passada, com todo mundo o encarando como uma espécie de líder. Ozzy, pelo contrário, começou bem, ganhando o desafio e ganhando o time ao elogiá-los durante o desafio na RI. Porém, Ozzy comete alguns erros repetidos de temporadas anteriores:

- Cair no conto das gostosas: se encantou com Semhar e firmou a aliança com Whitney e Elyse;
- Não perceber alguns sinais óbvios de perigo: Se eu fosse Ozzy, não gostaria de ter comigo alguém especialista em Survivor. Quando Cochran demonstrou ao longo de todo o episódio o quão era fã do show, pra mim (pra Boston Rob na temporada passada, por exemplo) ele seria uma ameaça. Daí ele resolveu eliminar o nerd pelo motivo errado: o fato dele ser fraco. Mas Ozzy não é esperto o suficiente para controlar esse tipo de situação, pois ele também não é esse tipo de pessoa. Ele é o cara que cata coquinho, nada como um golfinho e pensa no coletivo. Ou seja, Ozzy pensa no grupo e não individualmente. Por isso ele vai tomar decisões erradas e cair na mesma armadilha na qual ele caiu em Micronésia.

  Ainda por cima, com a eliminação de Semhar, uma possível aliada próxima, me parece que além de ter perdido o desafio me parece que ele aparentemente perdeu o controle do grupo.
  É isso, vamos ver se a temporada pega no breu. Vale lembrar que o início de RI foi fantástico, mas depois a temporada caiu no buraco e virou uma das piores da história. Prefiro um início OK e uma boa temporada. Acho que o elenco é bom e tem potencial para evoluir, apesar de ninguém ter me empolgado. Aguardemos.

TROFÉU PARVATI SHALLOW





  As inscrições continuam! Para facilitar, a regra de descontar 25% dos pontos do chute para o vencedor foi adiada para semana que vem. Ou seja, se você quer chutar o vencedor até semana que vem, ainda dá.

 As perguntas para semana que vem são as seguintes:

1- Quem vai ganhar essa temporada?
2- Quem vai ser eliminado essa semana?
3- Quem ganhará o desafio de Imunidade? Upolu ou Savaii (Bônus - 5 pts)?

Minhas respostas:

2- Christina (10 pts), Stacey (5 pts), Cochran (3 pts), Brandon (2 pts).
3- Savaii.     
   
 Ranking:

1- Gabriel e Caco - 0 pts.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

ArbítrioCast sobre Survivor

  Não sei vocês já chegaram a ver o outro blog que eu tinha, o Livre Arbítrio. Recentemente ele se transformou em um podcast, eu gravei um sobre Survivor. Pra quem quiser ouvir, acesse e baixe:


  Tem um podcast que eu já gravei sobre uma ótima banda de rock, o Living Colour. Neste podcast eu falo sobre coisas básicas de Survivor, é inspirado no primeiro texto que eu escrevi sobre o show aqui no blog, o Surviviciado.